Prefeitura do Município de Tietê adere ao Janeiro Roxo

Por Redação (Itu - SP) 23/01/2019 - 15:43 hs
Foto: Imagem da Internet

 

Desde o ano de 2017, o mês de janeiro tem se tornado o período de manifestações do movimento “Janeiro Roxo”, que tem como objetivo a conscientização a respeito da hanseníase. Durante o mês, são realizadas diversas campanhas de informação, prevenção e tratamento da doença.

A hanseníase, antigamente conhecida como lepra, é uma doença infecciosa causada por uma bactéria chamada Mycobacterium leprae ou bacilo de Hansen.

A transmissão se dá por meio de convivência muito próxima e prolongada com o doente da forma transmissora, chamada multibacilar, por contato com gotículas de saliva ou secreções do nariz. Tocar a pele do paciente não transmite a hanseníase. Cerca de 90% da população têm defesa contra a doença. O período de incubação (tempo entre a aquisição a doença e da manifestação dos sintomas) varia de seis meses a cinco anos. A maneira como ela se manifesta varia de acordo com a genética de cada pessoa.

Os sintomas incluem: dores nas articulações, nos pés ou nos olhos; bolhas, erupções, nódulos, pequena saliência, perda de cor, vermelhidão ou úlceras na pele; sensação formigamento, redução na sensação de tato e/ou perda da sensação de temperatura.

O tratamento é gratuito e fornecido pelo Sistema Único de Saúde (SUS). Varia de seis meses nas formas paucibacilares a um ano nos multibacilares, podendo ser prorrogado ou feita a substituição da medicação em casos especiais. O tratamento é eficaz e cura. Após a primeira dose da medicação não há mais risco de transmissão durante o tratamento e o paciente pode conviver em meio à sociedade.  

Mantenha-se informado sobre a doença e, em caso de dúvidas, consulte um médico.

A hanseníase tem cura.