Família Toscano doa obras para o Museu Municipal de Itu

Museu e Arquivo Histórico Municipal amplia seu acervo por meio de parcerias e doações com o intuito de preservar e difundir a memória da cidade e de seus cidadãos

Por Redação (Itu - SP) 09/10/2018 - 17:35 hs
Foto: Divulgação

Na última sexta-feira (05/10), o Museu e Arquivo Histórico Municipal “Synésio de Sampaio Góes” (MAHMI), recebeu uma doação dos filhos do casal de arquitetos e urbanistas João Walter Toscano e Odiléa Setti Toscano. Nascido em Itu, Walter Toscano, ou só Toscano como ficou conhecido, já direcionava seus estudos sobre o Centro Histórico de Itu em sua dissertação de Mestrado. Em parceria com Odiléa,trabalhou a favor da preservação do patrimônio histórico ituano escrevendo o primeiro Plano Diretor da cidade, entre 1966 e 1968, e realizando para o Condephaat o estudo intitulado  “Diagnóstico para a implantação de ação cultural”.

Os três filhos do casal, Ana Paula, Mariana e Eduardo receberam o secretário municipal de Cultura Geraldo Gonçalves Junior e o diretor de Patrimônio Emerson Castilho para conversar sobre a preservação da memória da produção artística e arquitetônica dos pais e doarem para o Mahmi 25 itens entre cadernos, postais, desenhos, gravuras, fotos e objetos pessoais do casal.

De acordo com Castilho, também são de autoria de Walter Toscano os edifícios do Centro Universitário Nossa Senhora do Patrocínio, expoente do modernismo de Le Corbusier em São Paulo, e o edifício do convento Concepcionista de Nossa Senhora das Mercês, um dos primeiros projetos do estilo arquitetônico do Brutalismo Paulista. Ambos os edifícios são expoentes da arquitetura paulista, brasileira e internacional.

Para Geraldo Gonçalves Junior a doação é de extrema importância para a cidade. “O propósito do Mahmi é atuar no desenvolvimento, educação, integração e inclusão da sociedade, através da preservação e da divulgação de testemunhos e memórias materiais e imateriais, relacionados à ciência, arte e história associados a cultura e identidade ituana. Resgatar a vida e obra de Walter e Odiléa Toscano para difundi-la aos nossos cidadãos faz parte desses objetivos. A doação da família ao Mahmi permitirá que esse acervo tão precioso seja mantido na cidade e que possa ser acessado e estudado por todos os interessados, garantindo a preservação e difusão da memória de nossa comunidade”, comentou.

Outras conquistas

O Mahmi tem como meta ampliar as coleções e o acervo da memória de Itu e, a Secretaria Municipal de Cultura, está trabalhando para que isso ocorra. Até o momento já foram conquistadas dezenas de obras de arte, objetos pessoais, gravuras, desenhos, arquivos históricos, ferramentas de marcenaria do século XIX provenientes da área rural de Itu, entre outras peças.

Também foram realizadas parcerias. Um exemplo disso foi a impressão da Coleção Pedagógica Miguel Dutra, com 96 itens, viabilizada por meio do Museu Republicano “Convenção de Itu” e Pinacoteca do Estado de São Paulo, que cederam as imagens digitais, Canson do Brasil que doou o papel, Colégio Anglo de Itu que doou a impressão e Prefeitura de Itu que custeou as molduras.

Já por meio do edital do Instituto Brasileiro de Museus, o Itaú Cultural disponibilizou as obras de arte e o Instituto Brasileiro de Museus fez a concorrência em que o Mahmi participou e conseguiu o direito de receber 37 obras brasileiras.  Além disso, foram entregues ao Museu Municipal pelos descendentes do Professor Pery Guarany Blackman, em regime de comodato, nove pinturas do artista.

Outra conquista foi por meio de grupos de cidadãos ituanos que se reuniram e doaram o valor para compra de duas gravuras do artista Lúcio Costa que serão doadas ao município com destino ao Mahmi.

Os interessados em apoiar o Mahmi na preservação e divulgação da memória ituana, podem entrar em contato com a Secretaria Municipal de Cultura de Itu pelo telefone (11) 4886-9747.