Salto: Nota de falecimento por febre maculosa

Por Redação (Itu - SP) 07/08/2019 - 15:16 hs
Foto: Imagem da internet

A Prefeitura de Salto informa que na sexta-feira (02), foi confirmado um caso de morte por febre maculosa, neste ano de 2019, após investigação e resultado da sorologia.

Segundo informações da família, o homem de 35 anos, morador do bairro Itapecerica (próximo às Terras de Santa Rosa), relatou parasitismo por carrapatos em 12/07/2018 vindo a falecer no dia 21/07/2019. Ainda de acordo com a família, o homem foi parasitado durante trabalho de construção de cerca nas margens do lago da propriedade.

De acordo com a Secretaria de Saúde, o filho da vítima apresentou sintomas semelhantes, mas recebeu o tratamento em tempo oportuno e se encontra bem.

Com a confirmação do caso, a Secretaria da Saúde por meio do Departamento de Zoonoses notificou a Superintendência de Controle de Endemias (Sucen), órgão ligado à Secretaria de Estado da Saúde sobre o caso.

De janeiro a 31 de julho de 2019, foram notificados 11 casos de febre maculosa. Desses, 8 foram descartados, 1 confirmado (óbito) e 2 aguardam resultados.

A Secretaria de Saúde/Prefeitura salienta que a população de carrapatos no ambiente aumenta significativamente nos meses de maio até outubro, período em que ocorrem como consequência o maior número de casos da doença, dessa forma, recomendamos que a população evite frequentar locais com probabilidade de haver carrapatos, como áreas de pastagem, trilhas em matas, margens de rios e lagos em virtude da circulação de animais silvestres, além de fazer vistorias pelo corpo em busca dos micuins (larvas do carrapato estrela) quando o contato não possa ser evitado. As roupas devem ser descartadas para lavagem imediatamente após o retorno de áreas sabidamente infestadas e a vistoria no corpo deve ser realizada de hora em hora, tomando o cuidado para não coçar possíveis pontos de parasitismo antes de olhar, pois pode provocar a queda de carrapatos no ambiente que podem acabar parasitando outra pessoa da casa.

O último caso de morte por febre maculosa foi registrado há um ano no município. Desde então, a Prefeitura de Salto firmou convênio com o Instituto Biológico de Campinas, juntamente com as Secretarias de Saúde e Meio Ambiente para realizar ações de combate ao carrapato-estrela. Dentre elas a realização de um monitoramento/captura mensal de carrapatos em vários locais da cidade, fazendo um levantamento estatístico da quantidade capturado para em conjunto com o Instituto, onde está sendo elaborado um estudo para aplicação de fungos que irão combater os carrapatos.

Outras medidas foram implantadas como a instalação de placas indicativas em locais de possível parasitismo, sobre a presença do carrapato-estrela bem como medidas de cuidados pós visitação a essas áreas. Também foram colocadas cercas em locais que ficam às margens de rios e lagos para coibir a presença de capivaras, hospitaleiras do carrapato-estrela.

Além disso, a Prefeitura realiza encontros e palestras nos loteamentos fechados para orientações de saúde e ações para coibir a presença do carrapato-estrela em áreas em que o mesmo possa ser encontrado.

Sobre a febre maculosa

Febre maculosa brasileira é uma doença transmitida pelo carrapato-estrela ou micuim da espécie Amblyomma cajennense infectado pela bactéria Rickettsia rickettsii. Esse carrapato hematófago pode ser encontrado em animais de grande porte (bois cavalos etc.), cães, aves domésticas, roedores e, especialmente, na capivara, o maior de todos os reservatórios naturais.

Não existe a transmissão da doença de uma pessoa para outra.